Minha História Familiar

Minhas Origens

Antepassados e Descendentes

I Geração


Casamento Odair e Annemarie

Odair Ruben Costa, nasceu em 12/07/1941, na Rua do Lavradio 203, no bairro da Barra Funda, em São Paulo, SP, Brasil. É economista e advogado. Casou-se, em 26/10/1967, com Annemarie Martha Eggert.

Annemarie Martha Eggert nasceu em 07/07/1942, em Jena, Alemanha. Viveu até os 7 anos na cidade de Herne e depois em Wilhelmshaven, ambas na Alemanha. Filha de Max Johann Eggert e Anne Catharine Eilerts. Aos 9 anos de idade imigrou para o Brasil, no navio de bandeira argentina, Alberto Dodero e desembarcou em Santos, SP, em 03/12/1951.

São seus filhos (todos nascidos em São Paulo, SP):

  • Ellen Heidi, nascida em 02/07/1971, solteira é mestre e doutoranda em biologia;
  • Erika Heike, nascida em 26/11/1973, advogada, casada com Mário Mafra Neto, sendo seus filhos: Mark Johann e Erich Thomas;
  • Evany Hanne, nascida em 01/06/1975, psicóloga, com MBA em Marketing, casada com Luís Augusto de Moraes e Silva, sendo sua filha Laís;
  • Evelyn Helga, nascida em 16/02/1977, administradora de empresa, casada com Roberto Valdrez Junior, sendo seu filho Vicente;
  • Edgar Eggert, nascido em 05/09/1979, divorciado, formado em sistemas de informação, sendo suas filhas Isabelle e Melissa.

II Geração - Meus Pais


Nelson

Nelson Oliveira da Costa nasceu em 18/12/1918, em Canutama, Amazonas, Brasil; faleceu em 14/01/2000, em São Paulo, São Paulo e foi enterrado em 15/01/2000, em Ferraz de Vasconcelos, São Paulo. Casou-se com Irene Victoreli (Vettorello), em 02/09/1939, em São Paulo, São Paulo.
Aos 3 anos de idade mudou, com seus pais, para a cidade de Santos, São Paulo e de lá, já aos 15 anos, veio sozinho para São Paulo, onde começou a trabalhar na "All America Cables".
Trabalhou ainda como vendedor de livros na Livraria e Editora Brasiliense, em São Paulo, onde aprimorou sua cultura e saber, pois era autodidata; foi durante muitos anos vendedor da Brinquedos Balila e depois Atma Paulista, na região da 25 de Março, em São Paulo.


Irene

Irene (Nena) Victorelli, (o nome familiar correto é Vettorello, porém, houve erro no seu registro de nascimento), nasceu em 22/09/1920 e foi registrada em 22/11/1920, em São Paulo, São Paulo, Brasil; faleceu em 20/10/1994, em São Paulo, tendo sido cremada, em 24/10/1994, no Crematório da Vila Alpina, em São Paulo.
Mulher de fibra, trabalhou desde criança, a princípio como auxiliar de sua avó paterna, Irene Peretto, que era parteira, na região do bairro da Barra Funda, em São Paulo; depois, aos 18 anos de idade, foi gerente de produção de uma fábrica de brinquedos de pelúcia. Dedicou sua vida à família, aos filhos, ao trabalho e a benemerência.

São seus filhos:

  • Odair Ruben (vide acima);
  • Ivan Roberto, nascido em 07/10/1948, na Rua do Lavradio, 203, no bairro da Barra Funda, em São Paulo, SP, Brasil; falecido em 08/03/2013, na cidade de Ferraz de Vasconcelos. Casado com Neli Espessoto, sendo seus filhos: Roberta, Ivan Roberto Jr. e Eduardo;
  • Nelson, nascido em 26/10/1950, na Rua Tupi, 506, no bairro do Pacaembú, em São Paulo, SP, Brasil. Casado com Izilda Warzeé, sendo seus filhos: Thiago e Paula.

III Geração - Meus Avós


Paternos: pais de Nelson

Horácio

Horácio Gustavo da Costa, nasceu no norte de Portugal, em 15/01/1889, no lugar denominado Quinta A do Cavalo, freguesia de Moreira de Rei, Concelho de Trancoso, distrito da Guarda e morreu em 12/11/1963, em Ferraz de Vasconcelos, Estado de São Paulo, onde foi enterrado. Imigrou, em 1908, juntamente com seus pais, João António da Costa e Maria Augusta Moutinho, saindo do porto de Lisboa para a Cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, Brasil. No Amazonas exerceu a ativade de seringueiro (extração de borracha), no local denominado Canutama, que fica às margens do Rio Purús. Casou-se com Raimunda Idalina Oliveira, em 5 de janeiro de 1918, na cidade de Canutama, no Estado do Amazonas. Dessa união nasceram vários filhos, sendo que o mais velho é meu pai, Nelson Oliveira da Costa. Por volta de 1921 migraram para a cidade de Santos, SP.

Foi empregado da Cia. City, em Santos, Estado de São Paulo, de 29 de agosto de 1921, até a década de 1950.

Em maio de 2000 pesquisamos documentação existente no Arquivo Distrital da Guarda, em Portugal. Lá localizamos sua certidão de nascimento, bem como outros documentos da família. Todavia, por força das constantes imigrações por que têm passado o povo português, não nos foi possível localizar nenhum parente.

Raimunda

Raimunda Idalina Oliveira, nasceu em 15/09/1902, em Manaus, Amazonas, Brasil e morreu em São Paulo, Brasil, no dia 31/07/1990.

Sua mãe, Joana Idalina Sanches, nascida em Manaus, era filha da dona do seringal; casou-se com Francisco Fidelis de Oliveira que trabalhava como empregado da família de Joana Idalina, na extração do látex. Esse casamento se deu contra vontade da mãe de Idalina, que depois de casada teve que ir morar no seringal, junto com o marido.

Seus pais tiveram 4 filhos: 2 homens e 2 mulheres, sendo que ela a terceira filha, e desde pequena, adorava brincar com sua irmanzinha, mais nova.

Ainda criança perdeu a mãe e, ato contínuo, seu pai a mandou, junto com a irmã mais nova, para a casa da avó materna, em Manaus.

Em Manaus, ela e a irmã mais nova viveram, na casa da avó e receberam esmerada educação, jóias e tratamento de "princesas". Entretanto sua irmã logo veio a falecer, assim como a avó. Suas tias, então, a mandaram de volta para a casa do pai, no seringal. Lá chegando encontrou o pai casado com outra mulher e novos irmãos. Tinha, nessa época cerca de 10 anos de idade.

Ainda criança teve que se readaptar à nova e cruel realidade: tomaram-lhe as jóias e tudo o mais que possuia e repartiram entre os novos irmãos. Passou a ser tratada como empregada da nova família do pai. Levantava de madrugada para realizar seus afazeres e era maltratada por todos, exceto seu irmão mais velho. Esse vendo, seu sofrimento, a aconselhou a se casar, com um dos empregados da família, o português, Horácio.

Aos 15 anos de idade casou-se com Horácio Gustavo da Costa.

São seus filhos:

  • Nelson, meu pai (vide acima);
  • Odair, solteiro, falecido com cerca de 18 anos de idade e não deixou filhos.
  • Walter, solteiro, morreu ainda criança
  • Dalila, casada com Júlio Ferreira Júlio, sendo seus filhos: Sônia, Rosângela, Ana Maria, Rosaura e Dalila Nícia;
  • Luiz, casado com Ruth, sendo seus filhos: Tânia, Marcos, e os gêmeos Mauro e Márcia;
  • Maria Helena, casada com Emídio Muffo, sendo seus filhos: Giuseppe, Juliano e Luciana.

Maternos: pais de Irene

Ermido

Ermido Giovanni Vettorello, também conhecido como João Vittorelli ou Victoreli, nasceu na Itália, em Tezze sul Brenta, Vicenza, Veneto, em 05/01/1891 e faleceu em São Paulo, SP, Brasil, em 04/03/1946. Imigrou para o Brasil, com seus pais António Vettorello e Irene Peretto, ambos da região do Veneto, Província de Vicenza, Itália; eram agricultores; chegaram no Rio de Janeiro em 07/11/1894, a bordo do Navio Alacrità e depois, no Porto de Santos, SP. Aos 13/11/1894, chegaram na Casa do Imigrante, em São Paulo, atual Memorial do Imigrante. De lá com seus pais foi trabalhar na lavoura, na região de Três Barras, que hoje pertence à Serra Negra, SP.

Casou-se com Carlota de Faria, em 30/10/1909, na cidade de Serra Negra, São Paulo, SP. Posteriormente mudou-se com a família para a Capital do Estado de São Paulo, onde morou no bairro da Barra Funda.

Foi operário da Fábrica Bardella, tendo exercido a função de plainador, no período compreendido entre 28/03/1932, até 04/03/1946, data da sua morte. Foi enterrado no Cemitério do Araçá, em São Paulo.

Em meados do ano 2000 encontramos prováveis parentes, na cidade de Bassano Del Grappa, são eles Prof. Sérgio Vittorelli, seu irmão Paolo e sua mulher Rita. Sérgio é também um estudioso de genealogia, tendo nos fornecido o brasão familiar dos Vittorelli, provavelmente um ramo dos Vettorello, que é bem mais comum no Norte da Itália.

Carlota

Carlota de Faria nasceu em Três Barras, então Amparo, hoje Serra Negra, São Paulo, SP, Brasil, em 18/06/1884 e era filha dos donos da propriedade, onde seu marido foi trabalhar como colono. Morreu em São Paulo, SP, em 05/06/1952, sendo que seu corpo foi enterrado no Cemitério da Aclimação, em São Paulo. Seus pais eram José Pinto de Faria e Escholástica Francisca de Almeida, também conhecida como Escholástica Maria de Jesus (provavelmente seu nome de batismo).

São seus filhos:

  • Maria, nascida em 15/07/1910, no bairro de Três Barras, Serra Negra-SP e com registro de falecimento, em 17/07/1910.
  • Davino, nascido em 25/08/1911, em Três Barras, Serra Negra-SP e falecido em 27/12/1976, tendo sido enterrado, em São Paulo, SP. Era casado com Nair Buono; tiveram uma filha: Neide falecida em 28/02/2012;
  • Yolanda (Landa), casada com Humberto Belpiede, sendo seu filho: Nelson;
  • António (Ninin), casado com Alcídia, sendo seus filhos: Vera, Angélica, Marco António e Jocelyn;
  • Diniz, casado com Josepha, sendo seus filhos: Cláudio e Ivany.
  • Irene (Nena), minha mãe, vide acima;
  • Conceição, nascida em 30/10/1924, em São Paulo, SP, falecida em 29/05/2006, em Canela, Rio Grande do Sul, enterrada na mesma cidade em 30/05/2006, casada com Dino do Espírito Santo Rodrigues, sendo seus filhos: Dino Milton e Douglas;
  • Álvaro, nascido aos 20/02/1926, em São Paulo, SP; falecido em São Paulo, em 30/12/1986; enterrado no Cemitério da Aclimação, São Paulo, SP. Casado com Aurora Alves. São seus filhos: Almido João, Ricardo, Bernardeth, Roseli e Nilson.

IV Geração - Meus Bisavós


Paternos: pais de Horácio Gustavo

João Antonio

João António da Costa, nasceu em 13/12/1858, na Quinta A do Cavalo, freguesia de Moreira de Rei, concelho de Trancoso, distrito da Guarda, Portugal e morreu em São Vicente, São Paulo, SP, Brasil. Casou-se com Maria Augusta Moutinho.



Maria Augusta

Maria Augusta Moutinho nasceu em Portugal, na freguesia de Sebadelhe da Serra (ou, também, Sebadelhe de Numão), concelho de Foz-Côa, diocese de Lamego e morreu em São Vicente, São Paulo, SP, Brasil, com a idade aproximada de 104 anos.



Patriarcas CostaNa foto, ao lado, temos parte da família Costa, a saber da esquerda para a direita: Afonso e Maria Cândida (no dia de seu casamento), seu marido, duas crianças desconhecidas, depois Maria Augusta Moutinho, João António da Costa (sentado), um cunhado de Maria Cândida e sentado Camillo.

São seus filhos:

  • Francisco, nascido em Portugal e falecido em Ferraz de Vasconcelos, SP, Brasil;
  • Horácio Gustavo, meu avô (vide acima);
  • José, nascido em Portugal;
  • Luiz, nascido em Portugal;
  • Afonso, nascido em Portugal e falecido em São Vicente, SP, Brasil;
  • Camillo, nascido no Amazonas, Brasil e falecido em São Vicente, SP, Brasil;
  • Maria Cândida, nascida em Portugal e falecida em São Paulo, SP, Brasil.

Paternos: pais de Raimunda Idalina

Francisco Fidelis de Oliveira, segundo relatos, nasceu no Estado do Ceará, Brasil e emigrou para o Estado do Amazonas, na época do Ciclo da Borracha, casou-se com Joana Idalina Sanches.

Joana Idalina Sanches, nascida na cidade de Manaus, Estado do Amazonas, Brasil e falecida no seringal, no Amazonas, onde foi morar, assim que se casou.

Foram seus filhos: Raimunda Idalina (vide acima), uma irmã mais jóvem, falecida com cerca de 6 anos e 2 irmãos mais velhos.

Maternos: pais de Ermido Giovanni

António Vettorello, nasceu em 23/03/1863, em Confine di Tezze sul Brenta, Vicenza, Itália, e faleceu em São Paulo. Casou-se com Irene Peretto, em Rosà, Vicenza, no ano de 1890.

Irene Peretto

Irene Peretto, nasceu em Rosà, Vicenza, Itália, em 25/12/1868 e morreu em São Paulo, SP, Brasil, em 25/09/1958. Mulher enérgica e de fibra, durante muitos anos trabalhou como parteira, no bairro da Barra Funda, em São Paulo e com o fruto do seu trabalho, por algum tempo, contribuiu com o sustento seus filhos e respectivas famílias. Aliás, foi ela que fez o parto do meu nascimento.

Eram seus filhos: Ermido Giovanni (vide acima) e uma filha nascida no Brasil e que segundo consta casou-se com um varão da família MONTEIRO. Ainda , conforme informações seus descendentes moram no bairro da Lapa, em São Paulo, Brasil. Estou tentando localizá-los.

Maternos: pais de Carlota

José Pinto de Faria, nascido em 1842; casou-se com Escholástica Francisca de Almeida, cujo nome de batismo era Escholástica Maria de Jesus; morreu em 09/02/1907, com 65 anos de idade.

Escholástica Francisca de Almeida, também conhecida com Escholástica Maria de Jesus, nasceu em Minas Gerais, Brasil, no ano de 1841; morreu em Três Barras, Serra Negra, SP, Brasil, em 03/08/1899, com 58 anos de idade.

Residiam no bairro de Três Barras, em Serra Negra, sendo que alguns membros da família também eram conhecidos como Boavas.

Foram seus filhos:

  • João Manoel de Almeida, nascido em 1872; morreu em 19/06/1937, em Serra Negra-SP, com 65 anos de idade. Era casado com Benedicta Leme. Foram seus filhos: Benvindo, Nair, Wilson, Sebastião, Alcides, Cássio e Décio;
  • Joaquim Pinto de Faria, nascido em 1880; morreu em 28/03/1951, em Serra Negra, com 71 anos de idade. Era casado com Maria D´Alonso. Foram seus filhos: Hugo, Leonor, Benedito, Maria, Paulo, Aparecida, José e António;
  • Carlota, minha avó (vide acima);

V Geração - Meus Trisavós


Paternos: pais de João António

Camilo Aureliano da Costa Pinto, casou-se com Maria Cândida Pereira de Seixas.

Maria Cândida Pereira de Seixas.

Eram seus filhos: João António da Costa (vide acima), Luísa da Costa Pinto, José Leandro da Costa Pinto e Ermínia Cândida da Costa Pinto.

Paternos: pais de Maria Augusta

Francisco António Moutinho casou-se com Balbina dos Anjos.

Balbina dos Anjos.

Era sua filha: Maria Augusta.

Paternos: pais de Francisco Fidelis

Pai Desconhecido

Mãe Desconhecida

Paternos: pais de Joana Idalina

Pai Desconhecido

Mãe Desconhecida

Maternos: pais de António

Giovanni Vettorello, casou-se com Luigia Merlo

Luigia Merlo.

Era seu filho: António

Maternos: pais de Irene

Lorenzo Peretto, casou-se com Anna Crespi.

Anna Crespi.

Era sua filha: Irene

Maternos: pais de José Pinto

Jacob de Faria

Mãe Desconhecida

Era seu filho: José Pinto.

Maternos: pais de Escholástica Francisca de Almeida

Pai Desconhecido

Mãe Desconhecida

VI Geração - Meus Tetravós


Paternos: pais de Camilo Aureliano

António da Costa Pinto, casou-se com Júlia Emília da Silva e Souza.

Júlia Emília da Silva e Sousa, nasceu em Ervedoza do Douro - Portugal.

Foram seus filhos: Camillo Aureliano, Augusto e Maria Adeláide.

Paternos: pais de Maria Cândida

José Joaquim Pereira casou-se com Antónia Maria Pereira de Seixas.

Antónia Maria Pereira de Seixas.

Era sua filha: Maria Cândida.

Paternos: pais de Francisco António Moutinho

Pai Desconhecido

Mãe Desconhecida

Paternos: pais de Balbina dos Anjos

Pai Desconhecido

Mãe Desconhecida

VII Geração em diante


Paterno: pais de António

Paulino da Costa Pinto, natural de Carregal, Sernancelhe, Portugal

Francisca Benedita Pereira.

Foram seus filhos:
António da Costa Pinto;
Paulino José da Costa Pinto Saraiva.

Sobre o assunto veja o livro: DONAS-BOTO de S. João da Pesqueira. Origens e outros ramos, §6 e §24, páginas 86 e 262, de Albano Chaves, janeiro de 2005.

Paterno: pais de Júlia Emília

Jose Leandro da Silva e SouzaJosé Leandro da Silva e Sousa: primeiro presidente do Tribunal da Relação dos Açores e conselheiro e vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça, era filho de (8ª Geração) Camilo José da Silva Nunes, bacharel em Cânones e desembargador da Casa da Suplicação, cujos pais (9ª Geração)foram: José Pereira de Souza e Joséfa da Silva; era casado com Teresa Inácia de Sousa Lobo, sendo certo que os pais dela (9ª Geração) foram: António Gonçalves Pereira e Maria Joana de Sousa Lobo.

Ana Justina de Sousa Casal Ribeiro

Foram seus filhos:
Júlia Emília da Silva e Sousa;
Camilo Aureliano da Silva e Sousa

Sobre esse ramo da família consulte ainda o livro: (GFSM) Genealogia da família Seabra de Mogofores, Edição dos Autores, 1ª Edição Porto, 1998, de José Manuel de Seabra da Costa Reis e outros



Veja no Google Map a localizaçao das cidades onde nasceram as principais pessoas da minha família.

Agradecimentos:

Agradecemos as valiosas informações que nos foram dadas pelos genealogistas: Carlos Abelardo Morello (sobre os Vettorello), também a Albano Chaves e a meu primo, o também genealogista, José Manuel de Seabra da Costa Reis (sobre os Costa Pinto e Silva e Sousa).

Agradecimento especial à minha prima Sônia Zaira Júlio Ferreira, pela história de minha avó paterna Raimunda Idalina, cujo resumo se encontra acima.

Vide Síntese da Árvore Genealógica

Acima