Origens da Família Costa ou Costa Pinto

Origens do Nome

Este apelido identificou uma família da nobreza medieval portuguesa que poderá derivar de um protonotário apostólico que viveu em Portugal nos princípios do século XIII, de origem grega e denominado Nicolau Kosta.
Outros autores o dizem de mais remotas origens e o dão por usado no tempo de D. Afonso Henriques, afirmando alguns que deriva da designação da Quinta da Costa, na comarca de Guimarães. , mas nem todos os do apelido têm a mesma origem, pelo que deve haver diversos solares, que se ignoram quais sejam. O topônimo Costa é bastante vulgar, o que explica a quantidade de pessoas de igual apelido.

D. João Ribeiro Gaio, bispo de Malaca, dedicou-lhes os versos seguintes:

A quem quebrou a espada
com costas se defendeu,
seu inimigo venceu,
houve sua namorada
posto que também morreu.

A mais antiga linha de Costas que se encontra devidamente documentada é a da varonia de Martim Gil Pestana, escudeiro nobre que viveu em Évora na segunda metade do século XIV e que se estende até finais do século XIII.
Assim sendo, a chefia destes Costas, se não a de todos eles, veio a cair na Casa dos Silveiras, Condes da Sortelha.
O ramo dos Costas ditos senhores de Pancas, derivado colateralmente do célebre cardeal D. Jorge da Costa, dos Costas de Alpedrinha, partiu aquelas armas com o «corpo» da empresa daquele purpurado.
De mencionar que, na opinião fundamentada de certos heraldistas, as costas destas armas não são a representação de ossos mas sim de um tipo de facas de sapateiro de lâmina curva e sem ponta, precisamente designadas de «costas».

Armas



De vermelho, seis costas de prata postas em três faixas e dispostas em duas palas, firmadas nos flancos do escudo. Timbre: duas costas de prata passadas em aspa e atadas de vermelho.
Costas de Alpedrinha: de azul uma roda de Santa Catarina de ouro, armada de prata. Timbre: o dos Costas.

Os Costa Pinto - Meus Antepassados

Os Costa, meus antepassados, são originários de Portugal, do local denominado "Quinta A do Cavalo", que fica na freguesia de Moreira de Rei, concelho de Trancoso, distrito da Guarda. Pelas pesquisas que tenho feito o sobrenome correto de meus antepassados é Costa Pinto, vez que o nome de meu trisavô era Camilo Aureliano da Costa Pinto e todos os seus antepassados tinham esse mesmo sobrenome: Costa Pinto. Sua origem abrange as freguesias de Ervedosa do Douro e Carregal, respectivamente nos concelhos de São João da Pesqueira e Sernancelhe, em Portugal.

Meu avô paterno Horácio Gustavo da Costa imigrou para o Brasil por volta de 1908, juntamente com seus pais, João António da Costa e Maria Augusta Moutinho, saindo do porto de Lisboa, para a Cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, Brasil. No Amazonas exerceu a ativade de seringueiro (extração de borracha), no local denominado Canutama, que fica às margens do Rio Purús. Casou-se com Raimunda Idalina Oliveira, em 5 de janeiro de 1918, na cidade de Canutama, no Estado do Amazonas.(veja mais informações aqui).